Mudança do DNA institucional e inovação: como uma IES pode ser competitiva no século XXI?

Para entender o texto: o sonho real

É comum ouvirmos a seguinte afirmação - as pessoas que acreditam e procuram fazer inovações e rupturas são, geralmente, alimentadas por sonhos inviáveis. Há uma diferença entre o sonho impossível e o possível. O ambiente do ensino superior, por ser complexo, dinâmico, global e caracterizado pela diversidade indica a riqueza e a dimensão das possibilidades de inovação e ruptura.

Ideias para teclar “reiniciar” e experimentar algo diferente na academia.

Fábio José Garcia dos Reis

Estamos acostumados a assistir a filmes sobre o futuro da vida em sociedade. É comum os filmes mostrarem catástrofes, guerras, falta de água e diversos outros problemas. Há também filmes que apresentam as maravilhas das tecnologias. É muito provável que as tecnologias modifiquem nossos hábitos.

As organizações e o círculo virtuoso

Fábio José Garcia dos Reis

Em conversas recentes com pessoas que são dirigentes de empresas e de IES, percebo que é recorrente a citação da expressão círculo virtuoso. Os dirigentes reconhecem que o sucesso de uma organização tem como origem um processo e um ambiente que geram o círculo virtuoso, que é criado por  um conjunto de ações e atitudes de pessoas, em um contexto favorável.

O SEMESP e a SUNGARD Higher Education organizaram a 3ª Missão Técnica para gestores da educação superior com o objetivo de capacitar gestores de IES, através de um seminário que ocorrerá em Harvard e MIT, e de visitas às universidades de Yale e Drexel. O seminário será promovido pelo LASPAU (http://www.laspau.harvard.edu/), que é uma instituição filiada a Harvard.

O Centro Universitário Salesiano de São Paulo oferece desde 2007 o curso de gestão universitária com o objetivo de formar líderes capazes de fazer a gestão acadêmica e administrativa de uma IES

Em 2011, o curso terá inicio em 19 de março. Os interessados podem escrever para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .
Coordenação do curso: Fábio José Garcia dos Reis

O Brasil tem sérios problemas em seu sistema educacional. Nossos indicadores internacionais geram polêmicas e vergonha. Somos um país em que muitos estudantes do ensino fundamental e médio possuem dificuldades de leitura e raciocínio lógico. Nossas IES encontram dificuldades de melhorar os cursos de licenciaturas. Temos cursos de formação de docentes via EAD, mas os resultados precisam ser avaliados. Não há dúvidas de que, de modo geral, a formação de professores continua sendo deficiente. Iniciamos o ano com promessas do governo federal, com um novo plano de choque na educação no Rio de Janeiro e com perspectivas de mudanças de rumos na política educacional do governo de São Paulo.

O Departamento de Educação dos Estados Unidos está promovendo um grande debate sobre o financiamento da educação superior. O Departamento pretende, entre outras ações, diminuir o financiamento em carreiras de baixa empregabilidade, criar mecanismos que evitem o endividamento dos estudantes e de suas famílias e evitar que as IES privadas com fins lucrativos sejam beneficiadas em função dos recursos financeiros que recebem do governo federal.

A organização “The Education Trust” publicou o relatório “Subprime opportunity: unfulfilled promise of for-profit colleges and universities”, que gerou reações das organizações privadas.

O Boston College tem um Instituto para a Administração de Educação Superior Católica. O objetivo é formar administradores para as IES católicas. O Instituto tem como diretor o prof. Michael James, que presidiu a associação das universidades católicas dos Estados Unidos.

No Brasil, não há uma organização com a finalidade de formar administradores de IES católicas. A formação de líderes para as IES católicas é vital para essas instituições, pois o perfil de liderança é diferente quando comparamos com uma instituição pública federal ou de iniciativa privada. Não basta o líder ser um bom gestor, ele precisa ter o compromisso com a realização da missão e com a manutenção da identidade institucional.

Quarta, 01 Dezembro 2010 14:40

Gestão de IES Católicas

No Brasil, há poucos estudos sobre gestão da educação superior. No caso da gestão de IES católicas, o problema é ainda maior. Sabemos que nos últimos anos um conjunto de IES católicas passou por crise financeira em função do rápido avanço do mercado universitário, da carência de líderes com capacidade de fazer a gestão e pela dificuldade de entender que o sistema de educação superior exige mudanças que muitos não foram capazes de perceber.

A competitividade das universidades passou a ser algo estratégico para os países que perceberam que precisam de universidades competitivas, atrair os melhores talentos (professores e alunos), produzir conhecimento e ser uma instituição internacional. A opção de investir em um conjunto de universidades de classe mundial é de países asiáticos. Na Europa, as reformas da educação superior procuram tornar as universidades mais competitivas. Enquanto isso, no Brasil temos duas universidades do Estado de São Paulo (USP e Unicamp) que se destacam no cenário mundial, mas que ocupam posições secundárias nos rankings internacionais. O Brasil precisa de universidades que possam ser competitivas no cenário internacional.

Newsletter

Livros

Podcast